Image linked to donate page Image linked to Countering the Militarisation of Youth website (external link) Image linked to webshop

Inicio de sesión

Interface language

Diaspora link
Facebook link link
Twitter link
 

Turquia: Paremos o Ciclo de Violência

 

"Para enfrentar a violência e as violações de direitos humanos na Turquia, particularmente nas regiões do Leste da Turquia impactado pela guerra entre o governo turco e o PKK, os governos europeus não deveriam olhar para o outro lado por mais tempo."

A Internacional de Resistentes à Guerra lança uma petição online para a Alta Representante da União Europeia para Assuntos Exteriores e Política de Segurança, Federica Mogherini, para exigir da UE atuação diante da situação atual de violência que está se intensificando na Turquia.

Apoie a nossa petição à União Europeia aqui (Inglês - ver abaixo a petição em Português)

Antecedentes

Em agosto de 2015 foi retomado o violento conflito entre o governo turco e os grupos curdos, depois do cancelamento do processo de paz pelo presidente Erdoğan. Os primeiros resultados do processo de paz existente foram destruídos. A população civil é a vítima. O exército turco está usando tanques e armamento pesado de forma arbitrária sem prestar atenção à segurança da população civil. Foram bombardeadas partes de cidades. Ocorreram centenas de mortes de ambos os lados, toque de recolher em cidades e regiões majoritariamente povoadas por curdos, que têm durado semanas, além de graves violações de diretos humanos que conduziram a uma crise humanitária. Ainda, a Turquia está bombardeando regiões curdas na Síria. A crise humanitária deverá piorar nas próximas semanas, a não ser que paremos a violência.

Os governos europeus permanecem calados; esperam que o governo turco impeça que os refugiados cheguem até a União Europeia e feche as fronteiras externas. Tampouco querem incomodar a Turquia, que continua sendo uma base importante da OTAN em sua guerra contra Daesh na Síria, e o Iraque. Com esta política, os governos europeus arriscam uma nova tragédia com mais refugiados.

Kati Piri, a relatora do Parlamento Europeu para Turquia, visitou Diyarbakır em fevereiro de 2016 e disse: “Estima-se que no Sudeste da Turquia aproximadamente 400 mil pessoas tenham tido que abandonar seus lares devido aos duros combates e toques de recolher, que em algumas cidades têm durado mais de dois meses.” Kati Piri está instando a UE a se comprometer ativamente na chamada a um cessar fogo e na retomada do processo de paz (turco-curdo).

A Petição

Prezada Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para Assuntos Exteriores e Política de Segurança:

Para enfrentar a violência e as violações aos direitos humanos na Turquia, particularmente nas regiões do Leste desse país afetadas pela guerra entre o governo e o PKK, os políticos europeus não deveriam olhar para o outro lado por mais tempo. Pedimos a você:

  • Inste as partes do conflito, especialmente o governo turco e o PKK, a um cessar fogo imediato e à retomada das negociações de paz;

  • Inste o governo turco a agir de acordo com todos os tratados internacionais sobre Direitos Humanos assinados pela Turquia, e principalmente, a se abster de implicar a população civil no conflito;

  • Detenha o comércio de armas na região;

  • Use todos os meios possíveis, incluindo a União Europeia, a OSCE e o Conselho da Europa, para promover a proteção dos Direitos Humanos de toda a cidadania da Turquia e das pessoas refugiadas que estão atualmente na Turquia, e a retomada do processo de paz.

  • Envolver a OSCE e o envio de uma missão de observadores à Turquia.

Assine aqui a petição.