Image linked to donate page Image linked to Countering the Militarisation of Youth website (external link) Image linked to webshop

Benutzeranmeldung

Interface language

Diaspora link
Facebook link link
Twitter link
 

Salvem vidas preciciosas e dêm a paz uma chance! O Ebolá é prevenível e controlavel

Outubro 2014

Somos uma Rede Pana-Africana de Apaziguadores proveniente á mais de 30 paízes a volta do continente Africano e que representa mais que de 20 organizações. Os nossos Membros do Comité de Sindicato, tém representantes que da África Ocidental, Áfeica Oriental, África Central, África do Norte, África Austral e das ilhas Africana. Outros membros também vêm do Médi Oriente, Ásia, Europae das Americas. Trabalhamos ao nível da comunidade, trainamos e mobilizamos as communidades a não á violência para o asseguramento da paz.

Por emenquanto, estamos perturbados e alarmadamente pela a expanção viciosa duma prevenível e controlavel virus do Ebolá que apenas não está a matar pessoas mas, que está a semeando medo e ainda mais, destabilizando as comunidades da África Ocidental. Em quando a crize do Ebolá veio a ser uma emergência global, estamos preocupados apenas por não houver uma vontade política no nível global para um lançamento suficiente, e ações de imediato imediata bem planeadoo de por ao fim a epedêmia e salvar vidas preciosas. Como foi dito pela Organização Mundial da Saúde, OMS, poderá apens levar seis á nove meses pór esta devastação num fim. De igaul maneira, estamos profundamnete perturbados do grosso tratamento de desigualidade que é feito lá fora pelo mundo na sua resposta perante esta crize prevenível na África Ocidental. Em quando aqueles que vêm dos paízes mais desenvolvidos têm recebido tratamento rapido e respondendo positivamente do ensaio tentativo das drogas, no enquando, e aqueles que se encontram nos paízes africanos sucumbem do virus desnecessariamente. Como foi observao pelo Peter Piot, o pesquizador que descobriu o virus, “o virus tirou mill vidas de Africano (s) e a reparação de dois Americanos antes da emergência pública foi delarada”. A nossa falha de agir agora, pode apenas nos lidar em mais questões catastróficos na Líberia, Guiné Conacri e a África Ocidental inteira.

A falha de não agir agora, também poderá lidar-nos nas condições de intensificações para violência e conflito, como o povo lutam para alimentação, medicamentos e outras necessidades basicas. Eenquando recohnecemos a responsibilidade da União African, UA, que já está no lugar, a rapida intervensão da Cuba e os trabalhos emprestadas pelas as organizações comunitárias que agora está em progresso, nós apelamos (ambos aos líderes dos governos e não governamentais dentro e fora do continente) ou (as Nações Unidas e líderes de paizes com recursos eficientes) para uma urgência de intervenções de apoios medical e humanitário na qual, que irá de assegurar, que um maxímo número de vidas podem ser salvos.

Chamamos a UA de melhorar as suas intervenções em mandar um Enviado especial na Luta contra o Ebolá com efetividade immediato. O Enviado tém que ter o mandato de tomar todas a medidas, sobre a qual, o orçamento e a autoridade em curto curso, tomar ações para efetivamente responder as rapidas mudanças e circunstâncias. Também para o Eviando tomar conta do fundo especial de assuntos de imediato e de longo curso de necissidades medicais e socio-economicos para as naçõs e cuomunidades afetadas pela crize. Ao mesmo tempo e, rigorozamente apelamos para a não militarização da assistência humanitária nas zonas afetada. De outro lado, tém que se houver cuidados sobre a qual o depoimento military da saúde restritamente sobre as autoridades civís. Estamos preocupado que esta crize humanitária e medical não deve ser explorada para as continuações de fims militar, politicos ou vantagems economicos por um país ou partido. A crize do Ebolá é uma mainfestação de baixo  desenvolvimento e deploramento do sistema de cuidados de saúde na maior parte da África, proveniendo e emergindo de guerras e conflitos violentos. A Líberia foi altament afetada pela esta crize porque é um estado fragíl, que está a recuperar de decadas de turmúlio e de guerra civil. Estamos apelar para passos imediato, o amelhoramento das infrastruturas da saúde para todos os paizes no continente Africano agora e no futuro.

Apenas, podemos derrotar a epedemia do Ebolá se reconhecermos que isto não é um problem local, mas uma ameaça global com responsabilidades comuns da qual, precisa-se de uma ação coordenada Internacional, sem favor usando a tecnólogia medical disponível or existente no mundo com pessoas centradas e numa ação coordenada Internacionalmente, podemos lidar o emfermo, e construindo uma sociedade saudavel e pacífica.

Apelo da Rede Pana-Africana á Não Violência e Promulgação da Paz para os Líderes do Mundo

Feito pelo:

Miguel Gomes Antonio  (Angola)  SACHI

Elavie Ndura  (Burundi/USA)

Rosemary Garsi  (Cameroon) Embrace Dignity

Koldobi Velasco  (Canary Islands) AA-MOC

Diaku Dianzenza  (DRC / South Africa

Sherif Joseph Rizk (Egypt)

Kesia-Onam Togo-Birch (Ghana) WANEP

Benard Lisamadi Agona (Kenya)  CAPI

Steve Sharra (Malawi)  LCD Malawi

Fiona Mwale (Malawi)  AWANICh

Paulina Dempers (Namibia)  Namibia United African Alliance Community

Oussenia Alidou (Niger / USA) African Women Coalition Against War

Olufemi Oluniyi (Nigeria / USA) AFPREA

Nozizwe Madlala- Routledge (South Africa) Embrace Dignity

Moses Monday John  (South Sudan) ONAD

Mamoun Abdallah (Sudan) SONAD

Musa Hlophe (Swaziland)

Abdeslam Omar Lahsen  (Western Sahara) AFRAPRADESA

Charity Mungweme (Zimbabwe / South Africa) Action Support Centre

Miles Rutendo Tanhira (Zimbabwe / Sweden) Journalist

Contact Persons:

Moses John (mosesjoa@gmail.com) & Nozizwe Madlala-Routledge(nozizwemr@gmail.com)

(Co-Convenors)