Image linked to donate page Image linked to Countering the Militarisation of Youth website (external link) Image linked to webshop

Benutzeranmeldung

Interface language

Diaspora link
Facebook link link
Twitter link
 

Semana de Acção contra a Nato NATO 15-21 Novembro 2010 Lisboa, Portugal

ICC, International Coordinating Committee No to War – No to NATO
PAGAN, Plataforma Anti-Guerra Anti-NATO Portugal

A NATO é um crescente obstáculo para se alcançar a paz mundial. Desde o fim da Guerra Fria, a NATO reinventou-se como uma ferramenta para a acção militar, por parte da “comunidade internacional ", incluindo a promoção da chamada " guerra ao terror ". Na realidade, é um veículo para o uso da força, dirigido pelos EUA, com bases militares em todos os continentes, ultrapassando as Nações Unidas e o sistema de Direito Internacional, acelerando a militarização e a escalada das despesas com o armamento - os países da NATO são responsáveis por 75% da despesa militar global. Prosseguindo aquela agenda expansionista desde 1991, para firmar os seus interesses estratégicos e sobre os recursos, a NATO iniciou a guerra nos Balcãs, sob o pretexto da chamada "guerra humanitária" e, durante quase nove anos, tem travado uma guerra brutal no Afeganistão, numa trágica escalada, que se vem expandindo para o Paquistão.

Na Europa, a NATO agrava as tensões, alimentando a corrida aos armamentos, com a chamada "defesa anti-mísseis", um enorme arsenal nuclear assocado a uma política de primeiro ataque nuclear. A política da UE é cada vez mais ligada à NATO. A procura de uma potencial expansão da NATO na Europa Oriental e, mais além, bem como as suas operações "fora de área" estão a tornar o mundo um lugar mais perigoso. O conflito no Cáucaso é uma indicação clara desses perigos. Cada avanço da fronteira NATO aumenta a possibilidade de guerra, incluindo o uso de armas nucleares.

Para alcançar a nossa ambição de um mundo pacífico, rejeitamos as respostas militares à crises mundiais e regionais - aquelas, são parte do problema, não parte da solução. Recusamos viver sob o terror das armas nucleares e rejeitamos uma nova corrida aos armamentos. Temos de diminuir as despesas militares, dirigindo, alternativamente, recursos para a satisfação das necessidades humanas. Temos de fechar todas as bases militares estrangeiras. Opomo-nos a todas as estruturas militares utilizadas para a intervenção militar. Temos de democratizar e desmilitarizar as relações entre os povos e estabelecer novas formas de cooperação pacífica para construir um mundo mais seguro e justo.

Na sua próxima cimeira, em Portugal, a NATO irá decidir sobre uma nova estratégia. A nova estratégia da NATO incluirá a continuação da guerra no Afeganistão, as intervenções contra outros países, a expansão para Oriente e para Norte e a continuada instalação de armas nucleares. A ameaça mais candente é que a utilização e a modernização do armamento nuclear continuará a ser uma parte central da nova estratégia.

O movimento internacional pela paz e outros movimentos vão protestar contra estas políticas belicistas e apelam para a abolição da NATO.

Semana de Acção

Quarta e Quinta-feira
Acções e eventos locais e regionais

Sexta-feira e Domingo
Congresso Internacional: Contra-Cimeira contra a Guerra e a Estratégia da NATO, realizada pela organização "Não à Guerra - Não à NATO" em conjunto com a PAGAN e muitas outras organizações portuguesas.

Sábado
Manifestação internacional "Não à Guerra - Não à NATO"

A nova estratégia da NATO é a continuação e amplificação da antiga política da NATO virada para a guerra.

Dizemos NÃO!

Para futura informação e contacto, por favor escreva para:

http://www.no-to-nato.org
info@ialana.de
http://antinatoportugal.wordpress.com
antinatoportugal@gmail.com